PES 2019

PES 2019 alcança nível de excelência apesar de dificuldades com licenciamento

Pro Evolution Soccer 2019 abriu a temporada de novidades dos jogos de esporte, dessa vez tendo que lidar com a perda da UEFA Champions League, seu carro-chefe nos últimos anos. Apesar disso, a Konami teve, pela primeira vez, sua equipe focada totalmente no desenvolvimento apenas para os consoles da nova geração e isso ajudou muito nos avanços feitos na nova edição de sua principal franquia no momento.

Essa maior liberdade se refletiu na qualidade final, que está  com uma jogabilidade muito mais fluida e com um ritmo bem próximo do que é uma partida de futebol de verdade. Parece que os desenvolvedores finalmente conseguiram achar o ponto ideal de seu motor gráfico, entregando uma experiência sensacional.

Mesmo sem os torneios oficiais que tanto chamavam a atenção nas últimas edições, a desenvolvedora buscou compensar licenciando algumas ligas de mercados pouco explorados. São dez delas que aparecem com seu logo e times oficiais em PES 2019. Apesar disso, a Konami ainda sofre com a presença de jogadores genéricos, algo que a sua concorrente FIFA também tem que lidar.

Se antes PES era conhecido como um jogo de futebol longe de estar no status de simulador, dessa vez a Konami entregou um produto final bem refinado e cheio de novidades na hora que a bola apita, além de seus já conhecidos modos que não serão estranhos para os gamers de longa data.

Para mim, mais importante do que ter rostos conhecidos como os de jogadores como Nenê, Jucilei e Everton no São Paulo, é o jogo se apresentar interessante, deixar os jogadores de defesa, meio e ataque equilibrados, para que nenhum se destoe demais em campo e que seja imarcável. Na série FIFA mesmo, isso é algo que me irrita ano após ano. Em PES 2019 há um grande equilíbrio e não há facilidade para se fazer o gol.

Animações de tirar o fôlego

A qualidade de Pro Evolution Soccer já é conhecida há algumas temporadas e parece que as coisas melhoraram ainda mais na versão 2019. As emoções ficam evidentes nos rostos dos jogadores licenciados, além de seus movimentos serem totalmente compatíveis com os da vida real.

Você jogar com David Beckham em seu time deixa muito claro o trabalho minucioso que eles tiveram para deixar o ex-jogador inglês praticamente igual ao que era quando estava em atividade. Os trejeitos para dar passes, cobrar escanteios e faltas é extremamente fiel, o que dá um grande prazer em jogar, seja online ou offline.

Gostei muito da liberdade de movimentação em bolas paradas. Não fico a mercê da CPU no momento em que disputo uma bola alçada na área, ou um tiro de meta batido pelo goleiro. Controlo toda a movimentação e disputa corpo a corpo para ver quem conseguirá tocar primeiro na pelota.

Essa liberdade é recorrente durante a partida. A Konami trabalhou bem com a inteligência artificial, principalmente na movimentação dos jogadores nos contra-ataques. Eles aparecem nos espaços corretos, além de você ter a possibilidade de trocar de tática rapidamente durante o jogo, sem necessidade de pausar.

No Campeonato Brasileiro, clubes como São Paulo, Palmeiras, Flamengo e Corinthians são licenciados, contando com alguns jogadores que tiveram seus rostos moldados ao mundo digital, além de suas habilidades apresentadas nos gramados do país. Diego, meio-campista do Flamengo, joga igualzinho ao que é na vida real.

Os estádios são outro ponto alto de Pro Evolution Soccer. Eu sou são-paulino e fiquei maravilhado com o Estádio do Morumbi dentro do jogo. O campo foi fielmente transportado para PES 2019, assim como o clima nas arquibancadas (sim, a torcida comparece). A Arena Corinthians, o Allianz Parque não ficam atrás, todos muito bem detalhados, fazendo a alegria dos torcedores.

Outra grande novidade é a transição de tempo de tarde para noite, em tempo real. Pode parecer pouca coisa, mas isso traz uma qualidade maior ao simulador da Konami, deixando tudo ainda mais próximo de uma partida de futebol de verdade.

Guerra de Licenciamento

Para quem joga Pro Evolution Soccer desde os tempos de PlayStation 2 e Xbox, sabe que a Konami nunca conseguiu contar inteiramente com os clubes completinhos. Na versão 2019 não é diferente.

A Premier League, por exemplo, conta apenas com Arsenal e Liverpool com suas equipes totalmente licenciadas. Apesar disso, os principais clubes da primeira divisão inglesa permanecem com seus jogadores reais, mas com outros nomes como Man Red e Man Blue. Outras ligas importantes da Europa passam pelo mesmo problema.

Após ver a Champions ir para a rival FIFA, a empresa focou em explorar mercados menores, mas com um potencial enorme. Deve ser por isso que a Konami investiu em Ligas como Brasileira, Turca, Argentina e muitas outras, esperando que o que fosse perdido com a Liga dos Campeões da Europa não façam tanta falta.

É um pouco desanimador quando começo partidas com diversos jogadores com nomes genéricos. Queria que todos os times do Brasil pudessem ter seus atletas reais e completamente licenciados, mas aí o buraco é mais embaixo no momento de negociar com os empresários dos atletas, já que pedem muito dinheiro.

Vale a Pena?

PES 2019 é um jogo de futebol que não deixa nada devendo ao FIFA. Lançado praticamente um mês antes, a Konami conseguiu sair na frente de sua rival e deixa agora a sua concorrente tendo que fazer um ótimo trabalho com a sua versão para a temporada atual.

O trabalho em cima dos jogadores licenciados para passar uma fidelidade e credibilidade à jogatina é elogiável. Buscar parcerias com ligas mais alternativas é uma grande jogada, atraindo um público fiel em diversos países, principalmente os da América do Sul, onde a marca é muito forte.

A jogabilidade está muito mais interessante e próxima do real, tornando a experiência muito prazerosa. Os jogadores são bem equilibrados entre si e os modos de jogo já tradicionais, mesmo que estejam praticamente iguais, mantiveram a qualidade e até adicionaram algumas novidades.

No My Club, o número de jogadores lendários ficou ainda maior, podendo os utilizar com uma maior frequência. A Master League continua muito legal e nostálgica, principalmente para mim que joguei muito na época de PlayStation 2.

PES 2019 já não precisa mais ficar buscando se comparar ao FIFA. Já encontrou a sua própria identidade e o único problema é a falta de licenciamento. Novidades extras como aparecem no rival são um tanto descartáveis na minha opinião, então não acho que seja uma falha não adicionar modos a mais.

Para os fãs do futebol, fica a opção de mais um belo jogo do esporte mais jogado em todo o mundo.

NOTA: 9,0

+ Jogabilidade bem fluida e com liberdade

+ Gráficos espetaculares do ambiente

+ Jogadores, clubes e estádios muito fiéis aos da vida real

+ Licenciamento de ligas menores

– Grande número de jogadores genéricos

– Mudança lenta do cursor de jogadores

The Crew 2 expande horizontes e foge do clichê em jogos de corrida

Próxima Notícia »

Zone Of The Enders: The 2nd Runner – M∀RS é essencial para donos de PSVR